Que populações têm maior probabilidade de desenvolver danos nas células nervosas?
List of conditions that lead to nerve impairments

Quem tem maior probabilidade de desenvolver desequilíbrios das células nervosas?


Existem grupos de pessoas que têm maior probabilidade de desenvolver danos nas células nervosas e respectivos sintomas, como formigueiro, dormência ou marcha instável, que é frequentemente relatada como tontura.

 

Nem todas as pessoas conhecem o risco de desenvolver problemas de saúde do sistema nervoso.

 

Caso pertença a um destes grupos, consulte o seu médico e fale com ele sobre o risco de vir a desenvolver danos nas células nervosas.

Estas populações podem ter maior probabilidade de desenvolver danos nas células nervosas.

Por que é que isso acontece?

 

Existem vários fatores que as expõem ao desenvolvimento de danos nas células nervosas, e as pessoas que pertencem a estes grupos podem estar em risco por vários motivos. Por vezes, pode existir apenas um motivo mas, na maioria dos casos, existem vários. 

 

Vejamos porquê:

Ícone do chocolate

Diabéticos e neuropatia periférica

Talvez não soubesse que a causa mais comum da neuropatia periférica é a diabetes, ocorrendo em até 50% dos doentes. Um dos motivos para o maior risco de desenvolver danos nas células nervosas está no facto de a diabetes estar associada a elevados níveis de açúcar no sangue, e esta alteração poder conduzir a danos neuronais. Além disso, nas pessoas com diabetes, o nível de stress oxidativo é elevado e também pode afetar as células nervosas. Há ainda outros fatores que podem aumentar este risco como: os hábitos tabágicos, a hipertensão e a duração da diabetes.
Idosos e neuropatia periférica
A capacidade de absorver vitaminas diminui com a idade. Este pode ser um dos motivos pelos quais os idosos têm maior probabilidade de sofrer de deficiências de vitaminas B12, B6 e B1. Uma vez que estas vitaminas são essenciais para a saúde do sistema nervoso, a deficiência pode conduzir a danos nas células nervosas. Existem estudos que demonstram que a neuropatia periférica é mais frequente nas populações idosas. Os motivos para isso podem ser vários e ainda não são totalmente compreendidos.
Ícone dos idosos
Ícone do cigarro

Fumadores e neuropatia periférica

É fumador? Tenha cuidado. Fumar estreita e endurece as suas artérias, reduzindo a circulação sanguínea nas pernas e pés, e está também associado a um risco elevado de danos nas células nervosas.
Alcoolismo e neuropatia periférica
O consumo excessivo de grandes quantidades de álcool (abuso de álcool) afeta negativamente a sua saúde, incluindo a das células nervosas, pois o álcool pode ter um efeito tóxico sobre o tecido nervoso. Além disso, o abuso crónico é frequentemente associado a malnutrição e a deficiências de nutrientes, incluindo vitaminas B12, B1 e B6. O excesso de bebidas alcoólicas pode reduzir os seus níveis de vitaminas B neurotróficas. As pessoas que sofrem de neuropatia alcoólica quando param de beber podem ter alivio dos sintomas e evitar uma maior deterioração das células.
Ícone do álcool
Ícone das deficiências de vitaminas B

Pessoas com deficiências de vitaminas B

Os hábitos alimentares restritivos ou a malnutrição podem levar a deficiências em certas vitaminas essenciais, como as vitaminas B neurotróficas, que desempenham um papel muito importante em manter as células nervosas saudáveis e protegidas. Seguir uma dieta vegetariana pode levar a uma deficiência de vitamina B12. Foi verificado que a deficiência de vitamina B12 nos vegetarianos está associada ao desenvolvimento de neuropatia periférica.

Independentemente das causas, é aconselhável que todos os grupos evitem os fatores de risco de alterações das células nervosas, sempre que possível.

Outras populações em risco de alterações das células nervosas.

 

Por vezes ocorrem sintomas de alterações das células nervosas e, mesmo após consultar o médico, a causa pode não ser facilmente detetada. Isto pode ocorrer quando não existe uma causa específica.

 

Esta patologia é conhecida como "neuropatia periférica idiopática", em que "idiopática" significa "de causa desconhecida". A neuropatia periférica idiopática ocorre em pessoas com mais de 60 anos; caso progrida, ainda que lentamente, pode tornar-se bastante prejudicial para a qualidade de vida.

 

Para além dos grupos principais indicados acima, outros fatores aumentam o risco de alterações nervosas.

Vejamos alguns:

 

• Doentes com insuficiência renal ou em diálise;

• Doentes com patologias gastrointestinais, como anorexia, diarreia, doenças inflamatórias do intestino, infeções por H. pylori, após cirurgia bariátrica;

• Malnutrição (pessoas com acesso limitado a alimentos ou nutrição desequilibrada);

• Exposição a toxinas e químicos, p. ex. arsénio;

• Medicamentos que influenciam o metabolismo ou a absorção de nutrientes, como a metformina, inibidores da bomba de protões, medicamentos utilizados nos tratamentos de quimioterapia ou tratamentos do VIH/SIDA;

• Lesões físicas ou traumatismos, como acidentes, quedas ou lesões desportivas. Traumatismos que possam danificar os nervos periféricos;

• Causas genéticas (pessoas que têm um membro da família que sofre de neuropatia). 

You can’t feel them and often you don’t mention them.

Specific symptoms that you would not notice and which can be related to nerve impairment 

You can’t feel them and often you don’t mention them.

Specific symptoms that you would not notice and which can be related to nerve impairment 

You can’t feel them and often you don’t mention them.

Specific symptoms that you would not notice and which can be related to nerve impairment 

You can’t feel them and often you don’t mention them.

ARTIGOS RECOMENDADOS PARA SI